Evento paralelo de assessoria de mídia: Lide com isso: Pessoas, Direitos, Justiça - CIDSE
Comunicado de imprensa

Evento paralelo de assessoria de mídia: Lide com isso: Pessoas, Direitos, Justiça

Evento organizado pela CIDSE, Caritas Internationalis, Amigos da Terra Internacional e Misereor.

Um mau negócio em Paris agravará a desigualdade e afetará os direitos das pessoas a uma vida digna e sustentável. Ecoando o apelo do Papa Francisco para respeitar os limites naturais da Terra e proteger os ecossistemas, os palestrantes apresentaram lições aprendidas e estudos de caso extraídos principalmente do Brasil e da Oceania, e avaliaram até que ponto o acordo de Paris refletirá os princípios de justiça climática.

Rt. Hon Nicola Sturgeon MSP, Primeiro Ministro da Escócia falou no evento e disse: “(…) as pessoas que menos fizeram para causar as alterações climáticas e estão menos equipadas para lidar com as suas consequências são as pessoas que estão a ser mais atingidas. A escala da injustiça é enorme. ”
Julianne Hickey, da Caritas Nova Zelândia, disse: "O acordo de Paris é uma questão de vida ou morte para os povos da Oceania".

Ivo Poletto da REPAM (Rede Eclesial Pan-amazônica) disse: “La humanidad entera, para vivir, necesita de una Amazonia viva y preservada” (“Toda a humanidade precisa de uma Amazônia viva e preservada para sobreviver”).

Asad Rehman, porta-voz da Friends of the Earth International disse: “A mudança climática é fundamentalmente uma questão de justiça. Os pobres não podem arcar com a conta da poluição dos ricos. Nações que se tornaram ricas por meio de combustíveis fósseis não estão conseguindo cumprir sua parte justa nas reduções de emissões ou nas finanças. Para se tornar um negócio justo, os países mais pobres devem ser apoiados em sua transformação para energias renováveis ​​e devem ter garantia de proteção e reparação dos impactos de uma mudança climática. Todo cidadão tem direito à energia limpa, direito à alimentação, direito à vida. Um negócio que falha nesse teste e falha na ciência não vale a pena fazer ”.

A relação entre direitos humanos e mudanças climáticas também é explorada no artigo "Paris, para o Povo e o Planeta", que expõe a visão do CIDSE para a COP 21 e além. Exorta os governos a integrar decisões políticas em uma dimensão moral, colocando no centro as comunidades mais pobres que mais sofrem com os impactos das mudanças climáticas e apresenta perguntas importantes à comunidade internacional sobre questões relacionadas ao clima.
Veja também O teste do povo sobre o clima, uma iniciativa que vê a COP 21 em Paris é uma oportunidade para começar a conectar as demandas das pessoas por justiça, igualdade, comida, empregos e direitos, e fortalecer o movimento de uma maneira que force os governos a ouvir e agir no interesse de seu povo e não no interesse das elites.

Siga a conversa no twitter: #planetimperative

 

 

Compartilhe esse conteúdo nas mídias sociais
Protegido por miniOrange