“Laudato Si '” e o caminho para a COP 22 em Marrakech - CIDSE

"Laudato Si '" e o caminho para a COP 22 em Marrakech

Uma conferência sobre o combate às mudanças climáticas, com a intervenção do CIDSE, foi realizada no 28 de setembro na Cidade do Vaticano.

Antes da COP 22 e pouco mais de um ano após a publicação da carta encíclica Laudato Si 'pelo Papa Francisco, foi organizada uma conferência pela Pontifícia Academia de Ciências e pelo Pontifício Conselho de Justiça e Paz. O CIDSE foi representado pelo Secretário Geral Bernd Nilles, que contribuiu para a conferência com um discurso.

Entre os outros palestrantes convidados, onde estiveram representantes de alto nível da Santa Sé, além do Dr. Hoesung Lee (Presidente do IPCC), Dr. Braulio Ferreira de Souza Dias (Secretário Executivo da CDB), Prof. Jeffrey Sachs (Columbia University), Prof. Stefano Zamagni (Universidade de Bolonha).

As discussões no seminário se concentraram nas respostas à crise climática, incluindo o “acordo climático de Paris”, em um momento em que sua ratificação estava sendo discutida por muitos países. A CIDSE ficou feliz em saber que, depois dos EUA, China e outros países, no 30 de setembro, os ministros do meio ambiente da 28 da UE aprovaram a ratificação do acordo pela União Européia. Esta decisão da UE é crucial, pois torna muito provável que o acordo entre em vigor na reunião de Marrakech.

Com a intervenção de Bernd, o CIDSE expressou sua esperança de que os líderes da COP 22 estejam dispostos a dialogar, não apenas entre si, mas também com as comunidades diretamente afetadas pelas mudanças climáticas. Em Marraquexe, os governos terão que reconhecer que as INDCs atuais (Contribuições Determinadas a Nível Nacional) não estão nos colocando no caminho de limitar o aquecimento global a 1,5 ° C nem bem abaixo de 2 ° C: os governos precisam aumentar suas ambições.

DSC 4469

Foto de grupo inclui da rede CIDSE: Bernd Nilles (CIDSE), Lorna Gold (Trócaire) e Andrea Stocchiero (FOCSIV)

© Pontifícia Academia das Ciências

O discurso de Nilles também apontou para a mudança no sistema que precisa acontecer para resolver a crise climática. Ele destacou que a crise climática é urgente e evidente e, para superá-la, precisamos de uma mudança de paradigma, de uma maior transformação. As respostas de hoje às mudanças climáticas ainda alimentam o sistema errado e ficam aquém da urgência e, embora existam e funcionem as iniciativas das pessoas para se adaptar e reagir às mudanças climáticas, os interesses adquiridos continuam impedindo-os e impedem que comunidades mais amplas adotem esses caminhos.

DSC 0274

© Pontifícia Academia das Ciências

Bernd Nilles: “Sabemos que já existem iniciativas que funcionam como energia renovável de propriedade da comunidade para a mitigação das mudanças climáticas, métodos agroecológicos para adaptação e para melhorar os sistemas alimentares ... temos a tendência de ver as pessoas em lugares remotos como pessoas indefesas, considerando que são capazes de definir seu futuro se o sistema permitir ”, disse Bernd. No entanto, ele destacou que os obstáculos na sociedade são muitos e podem ser fatais; existe um ambiente cada vez mais hostil para a sociedade civil em muitos países e, portanto, é crucial criar um espaço seguro para o ativismo.

O CIDSE destacou que as mensagens de Laudato Si podem nos ajudar a identificar o caminho da mudança, graças à sua abordagem holística e ao reconhecimento que dá às iniciativas promovidas pelas comunidades locais.

No final do seminário, os participantes também foram homenageados pela presença do Santo Padre, que se encontrou e discutiu com os participantes.

DSC 4416

© Pontifícia Academia das Ciências

O discurso completo de Bernd Nilles está disponível em anexo.

 

Bernd-Nilles-speech.pdf

Compartilhe esse conteúdo nas mídias sociais
Protegido por miniOrange