Enfrentando a grilagem de terras – CIDSE

Enfrentando a grilagem de terras

Uma delegação africana faz uma manifestação em frente à sede da empresa belga SIAT para reclamar suas terras e exigir respeito aos direitos humanos 


COMUNICADO DE IMPRENSA, 22 de junho de 2022

Na quarta-feira, 22 de junho, uma delegação de comunidades da Costa do Marfim, Gana e Nigéria, acompanhadas por ONGs locais e belgas, deslocou-se à sede do Grupo SIAT em Bruxelas. A delegação entregou uma carta aos funcionários da empresa belga para denunciar a apropriação de suas terras e a violação de seus direitos. Exigiram que qualquer diálogo ocorra nas regiões afetadas e de forma inclusiva, justa e transparente. A participação ativa das comunidades locais é essencial para o desenvolvimento de um processo de reparação justo. 


Cinco representantes da comunidade e da sociedade civil de Gana, Nigéria e Costa do Marfim estão em Bruxelas para denunciar a apropriação de terras por uma empresa belga de borracha e óleo de palma, SIAT (Société d'investissement pour l'agriculture tropicale), e seu impacto negativo sobre a população local.

Organizaram uma mobilização em frente aos escritórios da empresa em Zaventem. Placas, faixas, slogans, as mensagens eram unânimes: “Devolva nossa terra”, “Não ao desmatamento para plantações industriais”, “Direitos humanos antes do lucro”. Um momento simbólico foi organizado, com marcas de mãos vermelhas deixadas em uma pilha de pneus. A mensagem é clara “Nós não queremos morrer pela sua borracha”. Por fim, as comunidades afetadas leram em voz alta – em francês e inglês – a carta que entregaram ao CEO da SIAT. A carta diz: “Consideramos que qualquer discussão entre o GRUPO SIAT, as pessoas afetadas por suas atividades e os representantes de seus interesses, deve ocorrer diretamente no terreno. Se tal comunicação ocorrer, ela deve ser transparente, justa, inclusiva e conduzida de boa fé. "

A SIAT é uma das cinco maiores empresas que controlam 75% das plantações de dendezeiros na África. Vende seus produtos de óleo de palma para grandes multinacionais, como Unilever e Nestlé, e seus produtos de borracha alimentam as cadeias de suprimentos de gigantes internacionais de pneus, como Michelin e Goodyear.

− Comunicado de imprensa anunciando a visita da delegação
- Fotos do evento

COMPOSIÇÃO DA DELEGAÇÃO

  • Gladys Omorefe Osaghae (Nigéria): agricultora, líder comunitária e secretária de um grupo de mulheres da comunidade de Obaretin. Membro da Associação Integrada de Agricultores de Arroz da Nigéria (IRFAN).
  • Sinan Ouattara Issifou (Costa do Marfim): representante das comunidades locais de Famienkro, porta-voz do Rei do Andoh e presidente da Aliança para o Desenvolvimento Sustentável e o Meio Ambiente (ADDE).
  • Daleba Nahounou Pierre Lautti (Costa do Marfim): responsável pela “Justiça Social” e programas da associação Jeunes Volontaires pour l'Environnement (JVE) – Côte d'Ivoire
  • Rita Uwaka (Nigéria): Coordenador do programa Floresta e Biodiversidade da Friends of the Earth Africa
  • Sabedoria Koffi Adjawlo (Gana): diretor executivo da associação Jovens Voluntários para o Meio Ambiente – Gana 

Informações adicionais

CONTATOS

imprensa belga
Hélène Capocci, Entraide & Fraternité
T: +32 2 227 67 07 – helene.capocci@entraide.be

imprensa europeia
Valentina Pavarotti, CIDSE
T: +32 477 04 63 88 – pavarotti@cidse.org

imprensa africana
Sinan Ouattara Issifou (francês), representante das comunidades locais de Famienkro, Côte d'Ivoire
T: +225 0707364967 – lupote86@gmail.com  
Daleba Nahounou Pierre Lautti (francês), Jovens Voluntários para o meio ambiente, Costa do Marfim
T: 225 0747272953 + nahounou24@yahoo.fr
Sabedoria Koffi Adjawlo (Inglês), Jovens Voluntários para o Meio Ambiente, Gana
T: +233249648407 – adzawlo01@yahoo.fr  

Rita Uwaka (Nigéria) (Inglês): Coordenador do programa Floresta e Biodiversidade na Friends of the Earth Africa T: +2348034553503 – riouwaka@gmail.com




Créditos da foto de capa: Arnaud Ghys, CNCD-11.11.11

Compartilhe esse conteúdo nas mídias sociais